terça-feira, fevereiro 21, 2006

De Nação à nação à país. Bravo!

A Torre de Babel, por Peter Bruegel o Velho (1563)

A qualidade de pertencer à Nação Portuguesa -- a famigerada "nacionalidade" -- acaba de ser transformada num papelinho qualquer a traficar, tal qual em França, Inglaterra, Alemanha, etc. Parabéns a todos aqueles que meteram ombros à tarefa! Basta um golpe certeiro e poderoso e esfarela-se a base da identidade nacional. Agora, sim, Portugal deixa de ser nação para ser país. Abrilada ´74, CCE/UE, lei de "solo", lei de "cama", etc., tudo etapas do processo de dissolução nacional. Mas como vivemos no mundo do faz-de-contas, vou seguir o exemplo do Candide de Voltaire e repetir aos quatro ventos que, como não há efeito sem causa, tudo está necessariamente encadeado e arranjado para o melhor. Para o melhor dos mundos possíveis...

2 Comments:

At 12:22 da tarde, Blogger Rodrigo Nunes said...

Caro amigo, 3 excelentes análises!

 
At 9:02 da tarde, Blogger Je maintiendrai said...

Sem dúvida!
Por outras palavras lá suspirei o mesmo, no meu sítio.

 

Enviar um comentário

<< Home