sexta-feira, julho 21, 2006

A "nova" América

Válha-nos Deus!

Esta "outra" América em gestação, tal como a China comunista, não incomoda em nada o sono das cabeças sofisticadas e moderninhas do nosso admirável mundo novo. Afinal, algum capitalismo e algum socialismo sempre encontram as formas adequadas para dar rédeas soltas à sua relação carnal. Remunere-se algum capital com as mais altas taxas de sempre e a agenda tenebrosa da esquerda pode avançar despreocupadamente.

Ao escrever sobre esta monumental farsada que é o "modelo" de patropi brasileiro personificado pelo indivíduo a que chamam pelo nome de um molusco cefalópode, Olavo de Carvalho mostra como se dá a subversão socialo-comunista neste canto do mundo. E tudo sob os efusivos aplausos, os rasgados elogios e o respeito reverencial de grandes capitalistas, comovedores democratas e republicanos modelares.

"Ao longo de trinta anos ou mais, a esquerda fez tudo o que podia para favorecer a ascensão do banditismo: ensinou técnicas de guerrilha urbana aos delinqüentes presos na Ilha Grande, integrou quadrilhas de criminosos no esquema do Foro de São Paulo; cultivou com devoção fiel a fantasia ideológica que desculpa o criminoso e inculpa a sociedade; promoveu líderes do narcotráfico à condição de “líderes comunitários” e “intelectuais populares”; glamurizou as drogas como meio de “libertação psicológica”; promoveu o massacre moral da polícia através da mídia, do show business e das escolas, ao ponto de tornar os policiais uma classe inibida e atemorizada, persuadida de que o cumprimento fiel das suas funções legais só lhe trará novas perseguições e punições; debilitou o senso moral dos formadores de opinião por meio de engodos acadêmicos como o multiculturalismo, o relativismo, a maliciosa exploração psicológica das frustrações raciais e sexuais das minorias; garantiu a impunidade para os delinqüentes menores de idade; promoveu por todos os meios a desmoralização do direito de propriedade; e por fim diminuiu as penas para os crimes hediondos. Sua ação no sentido de fortalecer o crime e debilitar a sociedade foi tão coerente, tão contínua e tão abrangente que ela basta para explicar a desordem e a violência atuais, para as quais ela própria fabrica, ex post facto, pretextos diversionistas destinados a agravar ainda mais o estado de coisas. O resultado desse esforço sistemático e perverso está hoje ante os olhos de todos, e ele é a maior prova de que o esquerdismo é criminoso em si, por essência e vocação."

Se os bancos obtém os mais altos lucros de sempre e a indústria multinacional conta com o seu mercado cativo para que afadigar-se com minudências deste tipo?

4 Comments:

At 1:18 da tarde, Blogger Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú said...

Esse cartaz é uma galeria de horrores. O mundo evolui, mas a América Latina insiste em regredir!

 
At 2:17 da tarde, Blogger Euro-Ultramarino said...

Caro Visconde:
Isso está mesmo pavoroso. Só mesmo a Colômbia vai no caminho inverso. Mesmo no México - já bastante afastado dos "hermanos" do Sul,não houve inversão de marcha por uma unha negra.
Um abraço.

 
At 2:07 da tarde, Blogger maria said...

Completíssimamente d'acôrdo com essa parcela de texto transcrito. Só não concorda com essa lúcida análise quem não fôr intelectualmente honesto. E d'estes (oportunistas) estão o mundo e o inferno cheios. Haverá muita gente a contraditá-lo estou certa, mas sem sucesso. Porquê? Porque até para estes, há décadas a negar a evidência pela protecção total e incitamento de que beneficiavam dos dois lados, uma vez desaparecido um dos 'suportes' (é como uma pessoa a quem amputaram uma perna e lhe retiram a prótese com a qual praticava quase todas as tarefas normalmente, mas sem a qual fica extremamente limitada na locomoção e incapacitada de realizar um imenso número de tarefas porque fica pràticamente inválida) o outro que restou e que continua a apoiá-los mais ou menos secretamente mas não sem menor empenhamento, não lhes dá a coragem e força anteriores necessárias para prosseguir no seu intento anterior com os mesmos métodos. Negar a verdade do texto, que aliás é comprovável em quase todos os países do mundo e nas respectivas sociedades, seria não só um sofisma como, hoje em dia, uma perda de tempo, que até eles para já dispensam. Mas não se julgue que desistiram, nem pensar nisso, eles mudaram foi de táctica e 'de tempos'.

Muitos parabéns pelo seu Blog.

Maria.

 
At 3:27 da tarde, Blogger Euro-Ultramarino said...

Cara Maria:
O fenómeno vem ocorrendo em todo o Ocidente, em maior ou menor grau. Porém julgo que o exemplo supremo oferece-nos o panorama brasileiro, país onde a neutralização de qualquer iniciativa autenticamente anti-esquerda foi a mais exitosa. Tem razão: os "tempos" mudam e as "tácticas" também, mas a essência - para aqueles que sabem muito bem o que querem - permanece inalterada.
Obrigado pelo comentário e pela gentileza.
Um abraço.

 

Enviar um comentário

<< Home