sexta-feira, outubro 06, 2006

Ponto de inflexão?


Algumas coisitas começam a "cambiar" na Argentina... À memória histórica "hemiplégica" oficializada por um governo da esquerdalhada ressentida, vingativa e mentirosa, já há quem oponha a voz dos esquecidos, "excluídos", sem direito a indemnizações, discursos, feriados, museus, filmes, prémios Nobel, etc. - os mortos pelo terrorismo e pela guerrilha marxista. Ontem alguns milhares de pessoas juntaram-se para recordar que os seus mortos também contam.

A poucos metros dali uma contra-manifestação desejava, mui cunhalmente, "partir os dentes à reacção"...


Creio que uma rápida vista d'olhos pelos elementos de ambas manifs dá a medida exacta da justiça de cada um.

5 Comments:

At 6:07 da tarde, Blogger Camisa Azul said...

Palavras para quê.

 
At 11:09 da tarde, Blogger Euro-Ultramarino said...

É assim, caro Vítor. Vamos de volta aos "setenta"...
Abr.

 
At 7:42 da tarde, Blogger Heinz said...

Esses vermelhos malditos vivem pedindo por coisas.
Como os imigrantes ilegais na Europa ou Estados Unidos, que só sabem exigir, e nunca trabalhar.

O amigo Vítor Ramalho que me indicou seu blogue. Posso linká-lo ao meu?

 
At 8:05 da tarde, Blogger JSarto said...

Impressiona ver o contraste entre a velha Argentina de matriz europeia e na vanguarda da civilização, e a barbárie niilista mais terceiro-mundista...

 
At 2:57 da tarde, Blogger Euro-Ultramarino said...

An Herrn Erzberger:

Só que os vermelhos de cá trazem o ódio como regra de vida. Adiante com o "link"!

Ao JSarto:

Así es, desafortunadamente, mi caro Amigo.

Um abraço a ambos.

 

Enviar um comentário

<< Home