sexta-feira, junho 30, 2006

Geleia

Finalmente a demissão do ministro que para mim encarna o fenómeno do cachaço-geleia. Nascido e criado no Estado Novo, devotadíssimo discípulo de Marcello Caetano até à véspera do 25-4-74, ao dia seguinte afasta-se cobardemente deste, metamorfoseado, tal qual lepdóptero, em democrata das mais amplas liberdades e crítico do regime caído. Depressa metido na nova ordem não sente nenhum desconforto em aceitar o esquema "tolerado" pelo nefasto MFA. Da sua passagem pelo governo ficará indelevelmente registada a intervenção para impedir o julgamento dos responsáveis pelo crime de traição à Pátria, eufemistica e vergonhosamente chamada, "descolonização exemplar". Daí em diante, mais geleia, menos geleia, inspirou-me absoluta indiferença e nada mais constituiu surpresa, da ONU ao ministério "socrático"... Sou obrigado a reconhecer uma única qualidade à quartelada abrileira: em apenas um dia - pasme-se com a eficiência! - destrinçou o joio do trigo e definiu quem possuía ou não carácter.

3 Comments:

At 10:10 da manhã, Blogger Paulo Cunha Porto said...

Nunca será demais, Caríssimo Euro-Ultramarino, lembrar a nota a «MINHAS MEMÓRIAS DE SALAZAR» em que Caetano dá conta da inaceitável falta de coluna vertebral do indivíduo em questão. Como a ausência de qualquer remorso com que assumiu a fraude na investigação de Camarate. Nunca fui adepto de Marcello Caetano, ou de Sá Carneiro. Mas não gosto de traidores.
Abraço.

 
At 5:45 da tarde, Blogger Euro-Ultramarino said...

Meu caro Amigo,

Permita-me fazer minhas as suas palavras. Já era hora deste indivíduo deixar-nos em paz (como tantos - muitos! - outros...).

Um abraço.

 
At 12:01 da manhã, Blogger acja said...

Aiiaiaiai

Cadê o ELP quando se precisa dele?

 

Enviar um comentário

<< Home